Quinta-feira, 16 de Setembro de 2010

Ulrich, a chuva e a trovoada

Sobre o Orçamento de 2011, Fernando Ulrich disse ao Diário Económico o essencial: “Não compreendo a discussão numa altura em que ninguém sabe qual é a execução do Orçamento de 2010.” Com o ministro das Finanças desaparecido, números a conta-gotas e muita opacidade, a paciência é boa conselheira para uma Oposição que desconfia da execução orçamental mas a quem faltam factos para articular um discurso político. Tudo tem o seu tempo mesmo quando se prevê chuva e trovoada.

publicado por afacevisivel às 00:06
link do post | comentar | favorito

_Mais sobre mim

_Pesquisar neste blog

 

_Setembro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
17
18

19
20
25

26
27
28
29
30


_Posts recentes

_ Casamento homossexual, ab...

_ A promoção de Vara

_ A tosta mista e patriótic...

_ Um novo milagre das rosas...

_ É tão feio mentir a um il...

_ O Dia Europeu com Marijua...

_ Continuamos no pelotão do...

_ Os demónios internos do P...

_ Um país de chefes

_ O País das Maravilhas de ...

_Arquivos

_ Setembro 2010

_ Julho 2010

_ Junho 2010

_ Maio 2010

_ Abril 2010

_ Março 2010

_ Fevereiro 2010

blogs SAPO

_subscrever feeds